Início > IRR, TCP/IP > Curso IRR – Parte VIII: objetos inet(6)num

Curso IRR – Parte VIII: objetos inet(6)num

Introdução

Ao longo desse segmento faremos referência a inet(6)num para falar tanto do objeto inetnum, como do objeto inet6num. Quando for necessário esclarecer questões particulares, faremos referência a cada objeto, individualmente.

Os objetos inetnum ou inet6num representam as alocações e atribuições de endereços IPv4 ou IPv6 definidos pelos RIRs/NIRs ao AS em questão. O objeto inetnum, originalmente existia antes do objeto route. Já o objeto inet6num apareceu depois, juntamente com o route6.A diferença é que o objeto route(6) explicita o prefixo enquanto que o int(6)num explicita o espaço de endereçamento.

Atributos do objeto inetnum

inetnum:       [obrigatório]  [único]      [chave primária e de pesquisa]
netname:       [obrigatório]  [único]      [pesquisa]
descr:         [obrigatório]  [único]      [ ]
country:       [obrigatório]  [múltiplo]   [ ]
admin-c:       [obrigatório]  [múltiplo]   [chave inversa]
tech-c:        [obrigatório]  [múltiplo]   [chave inversa]
rev-srv:       [opcional]     [múltiplo]   [chave inversa]
status:        [obrigatório]  [único]      [ ]
remarks:       [opcional]     [múltiplo]   [ ]
notify:        [opcional]     [múltiplo]   [chave inversa]
mnt-by:        [obrigatório]  [múltiplo]   [chave inversa]
changed:       [obrigatório]  [múltiplo]   [ ]
source:        [obrigatório]  [único]      [ ]

Atributos do objeto inet6num

inet6num:  [obrigatório] [único]    [chave primária e de pesquisa]
netname:   [obrigatório] [único]    [pesquisa]
descr:     [obrigatório] [múltiplo]
country:   [obrigatório] [múltiplo]
admin-c:   [obrigatório] [múltiplo] [chave inversa]
tech-c:    [obrigatório] [múltiplo] [chave inversa]
rev-srv:   [opcional]    [múltiplo] [chave inversa]
status:    [opcional]    [único]
remarks:   [opcional]    [múltiplo]
notify:    [opcional]    [múltiplo] [chave inversa]
mnt-by:    [opcional]    [múltiplo] [chave inversa]
changed:   [obrigatório] [múltiplo]
source:    [obrigatório] [único]

Descrição dos atributos mais importantes

inet(6)num

O atributo inetnum do objeto inetnum contem a faixa de endereços IPv4 para o qual o objeto está dando informações. Há várias formas de representar a faixa de endereços, item 2 de [1], vejamos:

  • Uma classe IP:
    inetnum: 192.168.10.0
    

    onde a rede pode ser uma classe A, B ou C.

  • Duas classes IP:
    inetnum: 192.168.10.0 - 192.168.11.0
    

    onde a rede pode ser uma classe A, B ou C. Nesse caso o hífen (“-“) deve estar presente, juntamente com o IP final que representa a classe. No exemplo, a representação de uma classe C.

  • Representação “classeless” => opção preferida!:
    inetnum: 192.168.10.0 > 192.168.11.255
    

    No exemplo, a representação de duas classes C, pelas especificações dos endereços IPv4, inicial e final. Poderia ser qualquer representação de endereços inicial e final.

O atributo inet6num do objeto inet6num, por outro lado, tem o formato de seu valor simplificado. É a representação IPv6, em CIDR. Por exemplo:

inet6num: 2001:DB8::/32

Uma boa referência está em [3], onde alguns padrões de objetos excedem os padrões representados nos segmentos. Estes devem ser considerados!

netname

É um nome simbólico para o espaço de endereçamento especificado no atributo inet(6)num. Não há restrições, cf. [3], quanto ao nome escolhido. Entretanto, recomenda-se algo parecido com a proposta do RIPE, que seja o nome do objeto conforme descrito no item 2 da RFC2622, atualizada por [3]. A sugestão é: nome_curto_da_empresa-NET. É importante lembrar, que o atributo netname é um atributo de pesquisa. Se não houver uma padronização, dificilmente o usaremos em pesquisa. A recomendação é de que as instituições responsáveis recomendem uma padronização, pelo menos no âmbito de um país ou região.

mnt-by

Esse atributo é múltiplo, o que significa que pode haver diversos mantenedores para o objeto. Então, o atributo mnt-by é quem será usado para identificar o(s) mantenedor(es) autorizado(s) a fazer solicitações de alterações. O mecanismo de autenticação irá verificar no respectivo objeto mntner se o mantenedor está com autoridade para a inclusão, alteração ou exclusão.

O ponto principal a ser lembrado das observações acima é de que há um inter-relacionamento entre os objetos da base IRR, através de seus atributos. Em particular, o atributo mnt-by é quem identifica se a intervenção está devidamente autorizada.

Itens relacionados:

Referências do segmento

[1] Lord, A., Terpstrahttp, M., RIPE Database Template for Networks and Persons, \textbf{RIPE-119}.

[2] \textbf{RFC2772}, 6Bone Backbone Routing Guidelines R. Rockell, R. Fink [ February 2000 ] (TXT = 28565) (Obsoletes \textbf{RFC2546}) (Updated-By \textbf{RFC3152}) (Status: INFORMATIONAL) (Stream: IETF, Area: ops, WG: ngtrans).

[3] \textbf{RFC4012}, Routing Policy Specification Language next generation (RPSLng) L. Blunk, J. Damas, F. Parent, A. Robachevsky [ March 2005 ] (TXT = 35217) (Updates \textbf{RFC2725}, \textbf{RFC2622}) (Status: PROPOSED STANDARD) (Stream: IETF, WG: NON WORKING GROUP).

Categorias:IRR, TCP/IP

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: