O App da Anatel e o futuro


 

Introdução

 

O app da Anatel, lançado neste mês de junho de 2015 foi um avanço enorme! A experiência deve agradar aos usuários brasileiros (gregos e troianos) e, sem nenhuma dúvida, um sucesso aplaudido.

Esta demonstração explícita por parte de Anatel, de que o usuário é o componente mais importante da governança da Internet brasileira traz um enorme alento e deve ser ampliado, em futuro próximo. Em outras palavras, deve se tornar mais sofisticado no sentido de facilitar mais ainda a vida do usuário. Por exemplo, o processo de autenticação não é uma boa alternativa, pois além de incômodo, pode trazer quebras indesejáveis de segurança e tende a produzir ações com resultados imprecisos.

Mas, o app foi um enorme avanço e deve ser usado intensivamente. Os efeitos colaterais indesejáveis não são tão graves, neste momento.

 

O futuro do app da Anatel

 

Existem inúmeras possibilidades de evolução do app da Anatel. É pouco provável que qualquer alternativa, que não o uso de agentes inteligentes ou Elementos Inteligentes (IEs), cause impacto com resultados efetivos para o usuário final. Uma proposta é a aplicação do modelo ANARD (Autonomous Network Architecture over Restricted Domains) representado na Figura 1 e com detalhes neste PDF.

 

Modleo ANARD (Versão abstrata)

Figura 1. Modelo ANARD (abstrato). O x é o ASN. Fonte: aqui.

 

A tarefa de desenvolvimento sairia da ANATEL e passaria para as operadoras de trânsito. Cada app, hospedado no cliente da operadora faria parte da colônia de IEs.

Embora, há mais de dois meses atrás eu tenha feito referência, em minha qualificação no Mackenzie, a algo semelhante ao app (inteligente) lançado pela ANATEL, o exemplo de aplicação do modelo foi sobre o IRR (Internet Routing Register), com sucesso suficiente e animador para escrever este texto e exibir a proposta.

O caso de uso da aplicação sobre o IRR é mostrado na Figura 2.

 

irr-caso-de-uso-do-anard

Figura 2. Componentes do ANARD em aplicação sobre o IRR.

 

A aplicação foi feita na linguagem shakespeariana Python!

Um efeito colateral interessante surgiu da aplicação. O IE Controlador, que possui o controle total sobre o domínio restrito, induz e facilita a criação de um mecanismo de segurança que se resolveu chamar DMS (Dark Matter Security). Sabe-se que inúmeros elementos inteligentes existem no domínio restrito, mas não se sabe onde eles se encontram. A Figura 3 ilustra este mecanismo.

 

dms

Figura 3. O mecanismo DMS. X:0 é o IE Controlador.

 

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: