Arquivo

Archive for 07/04/2011

Dicas para obter seu AS

Este livro não é uma autobiografia, portanto pularei as cenas de guerra.
Na verdade, mesmo que fosse uma autobiografia, eu ainda pularia as cenas de guerra.
Não posso competir com os filmes de ação ou com memórias de aventureiros
que realizaram mais feitos do que eu, de forma que me deterei às minhas especialidades
nos ramos do acaso e da incerteza.
Início do Capítulo I da Parte 1
A lógica do Cisne Negro
Nassim Nicholas Taleb

Atualizado em: 20/11/2013 09:32.
Atualizado em: 13/05/2013 08:35.
Atualizado em: 14/04/2010 16:34.
Atualizado em: 07/02/2010 14:15.

 

Introdução

 

Tenho visto, de forma sistemática, inúmeras dúvidas relacionadas ao pedido de AS ao Registro.br. O objetivo desse texto é eliminar dúvidas, e recomendar algumas posturas para que o processo seja mais rápido.

 

Onde encontrar informações e alguns direitos

 

TODAS as informações podem ser encontradas em http://registro.br/provedor/numeracao/. A Figura 1, abaixo exibe o conteúdo da área de Serviços para Provedores, com detalhes claros de cada item.

 

Servicos

 

É muito importante, ler todo o material. Aqui nos preocuparemos com alguns destaques. Na Introdução podemos verificar os direitos de quem obtem um AS: participar do LACNIC, incluindo votar e ser votado. Um outro direito que nem todos se lembram, até porque não é muito divulgado (e deveria ser!) é receber, gatuitamente, um aparelho telefone do INOC-DBA-BR (Inter-Network Operation Center – Dial by ASN Brasil ). É um telefone VoIP que está associado ao ASN (número do AS) com o qual você pode se comunicar com ASes no mundo inteiro. Detalhes sobre o INOC-DBA-BR pode ser encontrado em: Inter-Network Operation Center – Dial by ASN Brasil. Quando o ASN estiver disponível, preencha o formulário em: INOC-DBA/BR – Formulário para participação no projeto e, em curto espaço de tempo receberá seu aparelho.

 

Quem pode tirar e quanto custa um ASN?

 

Qualquer organização pode ser um AS. O Registro.br (que é um NIR-National Internet Register) distingue dois tipos de organizações: o ISP (ou, LIR-Local Internet Register, em outros países) e o Usuário Final. A primeira organização tem como objetivo a prestação de serviços e facilidades da Internet. A segunda organização é a usuária de serviços de Internet e não pode se confundir com um ISP (não está muito claro se tal organização deve ser, obrigatoriamente, pessoa jurídica).

Os preços (ou custos) para ISP estão associados ao tamanho do bloco IPv4 solicitado, de acordo com a Tabela 1, abaixo:

Tamanho/Prefixos Custo Inicial /
Renovação
IPv4: menor que /20
IPv6: menor ou igual a /20
1.850,00
IPv4: de /20 até /19
IPv6: maior igual /32 até /31
3.885,00
IPv4: maior que /19 até /16
IPv6: maior que /31 até /29
10.545,00
IPv4: maior que /16 até /14
IPv6: maior que /29 até /27
25.900,00
IPv4: maior que /14 até /11
IPv6: maior que /27 até /25
51.800,00
IPv4: maior que /11
IPv6: maior que /25
74.000,00

Tabela 1: Preços de numeração para ISPs.

O Registro.br informa que a alocação do IPv6 é gratuita até 1o julho de 2013. Já os preços para Usuário final estão definidos na Tabela 2.

Tamanho/Prefixos Custo Inicial Manutenção
IPv4: /24 até /19
IPv6: /48 até /35
4.625,00 1.100,00
IPv4: maior que /19 até /16
IPv6: maior que /35 até /32
9.250,00
cada /16 ou /32 IPv6
1.100,00

Tabela 2: Preços de numeração para Usuário Final.

A cobrança é sempre antecipada e corresponde ao próximo ano, com data de vencimento no dia/mês do primeiro boleto.

 

Como solicitar um AS e os respectivos blocos IPv4 e/ou IPv6

 

As instruções de como solicitar um ASN estão aqui: http://registro.br/provedor/numeracao/solicitacao.html. São muito claras e estão disponíveis em http://registro.br/provedor/numeracao/pedido-ajuda.txt. Deve-se preencher o formulário, que na realidade é um projeto onde você deve justificar a razão pela qual está pedindo os blocos IP e não o AS. Há um exemplo sumário sobre como preencher o formulário. O que o Registro.br deseja é que o formulário seja preenchido com o máximo de precisão possível e justifique claramente a sua necessidade. Se o projeto for bem preenchido e estiver preciso, em 1 ou dois dias seu pleito é atendido. Se há dúvidas de preenchimento, pode durar uma eternidade e uma imensa perda de tempo, tanto de quem está solicitando, como por parte Registro.br. Imagine o trabalho para o Registro.br, ao tentar esclarecer dúvidas de interpretação! Daremos algumas dicas. Eis o formulário, cópia de http://registro.br/provedor/numeracao/pedido-form.txt:

#  Registro.br
#  Formulario para Alocacao de Recursos de Numeracao Internet
#
#  As instruções para o preenchimento deste formulario estao
#  disponiveis em:
#
#       http://registro.br/provedor/numeracao/pedido-ajuda.txt
#
#  O subject da mensagem deve seguir o modelo abaixo:
#
#	Solicitacao/Nome da Empresa
#----------------------------[corte aqui]------------------------------

# Nao modificar esta linha.
0. Versao:    2012052400

# Envie este formulario para numeracao-pedido@registro.br
# A mensagem deve estar no formato ASCII TXT (sem formatacao)

# Se este pedido for destinado a Provedores de Servicos Internet,
# preencha o campo apenas com a palavra ISP. Caso contrario, deixe o
# campo em branco.
#
# Veja a definicao da classificacao da entidade em:
#      http://registro.br/provedor/numeracao/faq.html#3
1. Definicao da entidade:

# Dados da entidade Solicitante.
2a. Nome:
2b. CNPJ:
2c. Endereco:
2d. Compl:
2e. CEP:
2f. Cidade:
2g. Estado:
2h. Tel:

# Contato no Registro.br.
3. Handle:

# Numero do sistema autonomo da entidade solicitante.
# Se ainda nao possuir, preencha com a palavra INI.
4. ASN:

# Pontos de contato na organizacao.
5a. ID contato tecnico (UserID):
5b. ID contato cobranca (UserID):

# Conectividade 'a Internet - ASs dos quais compra transito. Caso
# compre transito de mais que dois ASs, replique os campos abaixo.
6a. ASN:
6b. Nome:
6c. Handle:
6d. Bw:
6e. Status:

6a. ASN:
6b. Nome:
6c. Handle:
6d. Bw:
6e. Status:

# Conectividade a Pontos de Troca de Trafego (PTT).
# Caso esteja conectado a mais de um PTT, replique os campos abaixo.
7a. Nome:
7b. Handle:
7c. Bw:
7d. Status:

# Informacao sobre utilizacao das redes.
# Informar todos os Blocos IP alocados atualmente a sua
# organizacao pelo Registro.br ou por seus provedores de Internet.
# A Localidade deve ser preenchida com o local onde o bloco eh utilizado
8a. Seguir o seguinte formato:

Localidade           Bloco IP          Prefixo         % Utilizado
------------------------------------------------------------------




Por exemplo:

Localidade           Bloco IP          Prefixo         % Utilizado
------------------------------------------------------------------
São Paulo                192.168.1.0       /24              80%
Rio Janeiro              192.168.2.0       /25              100%

# Recurso de Internet que deseja solicitar.
# Marque com um X
# OBS: O ASN distribuido atualmente eh o de 32 bits. Caso nao possua
# suporte a este protocolo, favor mencionar no campo 16.
9a. IPv4:   [ ]
9b. IPv6:   [ ]
9c. ASN:    [ ]

# Tamanho do Bloco CIDR solicitado.
# No caso de pedido exclusivo para ASN, deixe estes campos em branco.
# Veja as regras e politicas de alocacao em:
#      http://registro.br/provedor/numeracao/regras.html
10a. Prefixo IPv4:
10b. Prefixo IPv6: 

# Planejamento para divisao e distribuicao do enderecamento IPv6
# Se nao solicitar o IPV6, basta deixar este campo em branco.
11. Res_arq_IPv6:

# Informe a quantidade de clientes  e de enderecos IPs necessaria 
# para cada um dos servicos abaixo
				Clientes	|	Qtde IPs
				--------------------------------
12a. Dial-up:					|
12b. Cabo:					|
12c. xDSL:					|
12d. Webhosting:				|
12e. Dedicado:					|
12f. Co-location:				|
12g. Wireless:					|
12h. Outros (identificar):			|

# Conexoes simultaneas em horario de pico
# Para os clientes corporativos, informe a quantidade que recebem
# por cada um dos prefixos (xxx recebem /30, xxx recebem /29, etc)
13a. Clientes residenciais:
13b. Clientes corporativos:

# Resumo da topologia, arquitetura de roteamento de sub-redes.
14. Res_arq:

# Descricao funcional da rede.
15. Uso:

# Informacoes adicionais sobre a organizacao ou esclarecimento sobre 
# algum campo do formulario.
16. Informacao Adicional:

Tenha em mente que o foco é no bloco IPv4 que está solicitando. Por outro lado, o Registro.br não sabe nada a respeito da empresa que está solicitando tais blocos. Nesse sentido, vale se exceder nas informações e o item 14 é livre para usar à vontade.. Preencha o formulário de maneira adequada, evitando os acentos e letras somente maiúsculas. Vamos às sugestões por item, do formulário:

  • Item 1: Ponha aqui, o objetivo social de sua empresa. Se por acaso ele não for compatível com a organização que está pedindo o AS, então faça um resumo e esclareça as eventuais futuras modificações. O Registro.br parte da premissa que você está falando a verdade até que se prove ao contrário (nesse caso) e, portanto seja claro e explícito em relação ao futuro ou possíveis mudanças na organização.

  • Itens 2 a 5: Sem comentários.

  • Item 6: O Registro.br imagina que você tenha duas interconexões de tráfego de trânsito em operadoras diferentes. Sob o ponto de vista do BGP, isso não é importante, mas o é sob o ponto de vista da confiabilidade e continuidade dos anúncios de seus IPs. A realidade brasileira é contrária a essa exigência, em algumas localizações. Embora o Registro.br tenha a expectativa de, no mínimo dois operadores de trânsito, ele admite que você terá os dois operadores de trânsito em futuro próximo, pois reconhece as dificuldades do cenário brasileiro. Portanto é perfeitamente razoável que a segunda conectividade com a Internet seja feita dentro de alguns meses (por exemplo, 3 meses). Mas tenha o contrato de ambas, ou um contrato e uma documentação que indique os movimentos para o segundo trânsito, informando de maneira clara, no item 16 as razões da exceção (não ter duas operadoras de trânsito é uma exceção!). Em se tratando de pequenos provedores, a topologia da conectividade pode variar bastante. Seja claro em relação a isso e exponha as exceções no item 16.

  • Item 7:Embora seja um item para quem já é um AS e está pedindo blocos IPs adicionais, você pode identificar a intenção ou disponibilidade para se conectar a um PTT, assim que tiver o ASN (pré-requisito para se emparear com um PTT). PTTs estão se espalhando pelo Brasil, e vale informar ao Registro.br, sua intenção de se emparear a algum PTT (já em funcionamento ou projetado). Quando se tratar de projeto futuro, informe tal intenção e esclareça no item 16.

  • Item 8: Esse é um dos itens mais importantes, e o mais trabalhoso. O Registro.br irá usa-lo para identificar se você precisa do bloco solicitado. Também, ele verifica se os IPs que você informa estão alocados para sua empresa. A realidade brasileira é diferente da realidade de outros países. A operadora de trânsito lhe fornece IPs mas, não registra esse fornecimento no Registro.br. Se esse for o caso faça o seguinte: (a) solicite, imediatamente, que a operadora atribua esses IPs formalmente e informe quais os IPs assim caracterizados, no item 16, para conhecimento do Registro.br. Por outro lado, as operadoras de trânsito estão cada vez mais reticentes em relação ao fornecimento de IPs. Nesse caso, você pode estar usando NAT com uma boa quantidade de IPs privativos. Esclareça isso no item 16, muito embora terá oportunidade de caracterizar em um item mais abaixo.

  • Item 9: Se é a primeira vez, marque todas. Não deixe de pedir IPv6! Use e treine o IPv6. No médio / longo prazos será beneficiado.

  • Item 10: Informe o bloco IPv4 que você precisa. Para um provedor, o Registro.br espera que você peça um bloco IPv6 /32, e caso não seja este o seu interesse, justifique no item 16.

  • Item 11: Este é o item no qual você deverá justificar seu pedido de blocos IPv6. Deve lembrar que nem sempre estará preparado para o uso do IPv6 extensivamente. Portanto, o Registro.br admite uma justificativa não muito precisa e segura.

  • Item 12: Item trabalhoso, no qual você irá justificar o uso de cada um dos IPs utilizados ou que pretende utilizar, segundo o plano proposto no item 8. Não se atenha ao cenário atual. Algumas experiências recomendam um cenário de 12 meses, divididos em períodos de 3 meses.

  • Item 13: Tendo com base o que preencheu nos itens 8 e 12, preencha os campos solicitados. Exponha-os em cenário de 12 meses, divididos em períodos de 3 meses.

  • Item 14: Lembrando que esse item está relacionado com as informações dos itens 8, 12 e 13, identifique a sua rede como um todo, incluindo todas as localidades e torres necessárias à conectividade de trânsito. Se você busca trânsito em localidades remotas, informe aqui. Explique com um pequeno esquema a relação entre torres, pontos de acesso e localidades que atende. Nada complicado. É nesse item que terá a oportunidade de esclarecer o uso de NAT e a divisão de clientes por localidade e somadas no item 11. Adicione essa informação de clientes por localidade aqui nesse item. Indique o tipo de técnica/protocolo de roteamento que utiliza (estático, dinâmico, NAT, etc). Seja o mais preciso que puder. Quanto mais seguro você estiver ao informar nesse item, mais o Registro.br ficará convencido do seu pedido.

  • Item 15: Esse é um item descritivo no qual você irá esclarecer e interpretar algumas dúvidas que não ficaram evidentes nos itens 8, 12 e 13, além de esclarecer eventuais conflitos entre IPs que você usa atualmente e o que está sendo solicitado. Faça-o de forma resumida, direta e simples.

  • Item 16: Além de todas as informações recomendadas nos itens anteriores inclua todas aquelas que achar relevante. Não se preocupe em pecar por excesso. Eis algumas interessantes, que vale antecipar:

    • URL de seu sítio.
    • Qual o plano para devolução dos IPs fornecidos pelas operadoras de trânsito. Geralmente é um tempo (talvez, 30 dias), a partir do estabelecimento da sessão BGP pelas respectivas operadoras.
    • Adicione uma tabela, como informação complementar do item 8, indicando o uso dos IPs fornecido pelas operadoras de trânsito, para cada localidade informada, amparado em um cenário de 12 meses, dividido de 3 em 3 meses. Algo como:

      Localidade               Bloco IP            Prefixo            % Utilizado
      ----------------------------------------------------------------------------------
                           3 M  6 M  9 M  12 M  3 M  6 M  9 M  12 M   3 M  6 M  9 M  12 M
      
    • Se tem ou não restrições em receber um ASN de 32 bits.
    • Se tiver uma URL de gráficos representando tráfego, ponha aqui. Caso contrário, prepare-se para enviar um arquivo, caso seja solicitado. O ideal é a URL.

Atendimento no Serviço de Numeração do Registro.br

O pessoal da área de numeração do Registro.br é muito atencioso e paciente. Eles fazem um esforço imenso para atender à sua solicitação. Entretanto, imagino que deva haver um limite… Se não está preparado para preencher adequadamente o formulário, peça ajuda. Há muitos consultores disponíveis para isso. Se for necessário, ponha perguntas aqui nesse texto que muitos (inclusive eu) poderão responder, e será útil para muita gente.

Deveres de um AS

Quando você se torna um AS muitas responsabilidades chegam junto. Tais responsabilidades são grandes, pois um AS é membro da Internet. Melhor dizendo, um AS é parte integrante e ativa da Internet. Uma pequena falha pode induzir a falhas gravíssimas que podem causar transtornos a parte ou toda a Internet. Portanto, exigirá mais atenção técnica e aprendizagem contínua.

Reflexões

  1. Não é hora de pedir mais IPv4 (exceto para os novos AS, que podem pedir menos, contornando as exigências do Registro.br, cada vez mais fortes). Os equipamentos clientes com suporte a IPv6 estão aparecendo no mercado a preços competitivos. Avalie as alternativas de aplicação intensiva em IPv6. Para quem tem proxy (ou cache), eis ai um foco inicial.

  2. O Registro.br, sem IPv4 (talvez em 2014) irá concentrar seus esforços no aperfeiçoamento da vigilância do uso do IPv4 com o objetivo de capturar blocos não utilizados. Embora, certamente, com ampla defesa será difícil justificar a necessidade de manter seus recursos. A vida com IPv6 será muito melhor para o provedor.

  3. Uma das dificuldades atuais é o trânsito IPv6. Faça gestões junto à associação mais ativa para que o CGI.br apoie fortemente a criação de túneis IPv6, mesmo que pagos. O objetivo é diminuir a latência para a Internet IPv6. As alternativas atuais são ruins. Em outras palavras, precisamos de alternativas de trânsito IPv6 nos recantos remotos…

  4. Ainda demorará um pouco para se desprezar o IPv4. Mas, se houver um aumento considerável, nenhum fornecedor de conteúdo ficará fora do ambiente IPv6 (em sã consciência…). Os serviços de IPv4 que resistirem serão muito especializados e de uso restrito.

  5. As ações devem ser sistemáticas de olho nos interesses de futuro dos provedores. Muito cuidado, pois os outros interesses, que desprezam o Cliente podem ser fortes o suficiente para anular os esforços de interesse geral. O objetivo deve orientar-se a colocar os terceiros no lugar certo e, cada vez mais exigir o respeito a quem consume.

  6. De olho nas “FreeNets” que devem se expandir, com o avanço tecnológico. Não que elas inviabilizem qualquer negócio, mas exigirão cuidado redobrado. Qualidade é tudo, em regime de alta competição. Já passamos por isto no passado.

FAQ

Aguardando …

Categorias:BGP, TCP/IP